3 de jan de 2008

LUZ DA LEMBRANÇA - OS PARENTES QUE SE FORAM

O período de festas, bem como as diversas outras datas comemorativas (aniversário, nascimentos) ou meras reuniões familiares são, por vezes, momentos de tristeza, de agonia, de depressão para grande número de pessoas que perderam entes ou pessoas que lhes eram muito caras.

Este sentimento, não há como negar, em grande parte pode ser creditado à solidão, este mal da alma humana. Mesmo em família, nem sempre nos sentimos à vontade, integrados à maneira de viver e de comemorar o Natal ou outras datas. Outro aspecto a considerar é a saudade que sentimos dos que já partiram. Não podemos esquecer que também deixamos amigos no mundo dos espíritos que nos aguardam um dia. Portanto, devemos compreender que somos os maiores, senão os únicos, responsáveis pela onda de sentimentos que nos afetam; que atingem nossos amigos e parentes próximos; e, numa dimensão diversa, os entes que partiram para outro plano da vida.

O estudioso espírita Mauro Operti observou em entrevista ao IRC, que a maneira de saber se os entes desencarnados estão bem é rezar, “pedir a Deus que lhe permita sentir o carinho daquele de quem você gosta”. “Com o tempo e a prática — completa — aprendemos a nos dirigir mentalmente àqueles de quem gostamos e as evidências subjetivas que colhemos desses contatos nos dão a certeza de que realmente estivemos com eles. Mas é preciso aprender a fazer as rogativas mentais com tranqüilidade, confiança e á certeza da assistência espiritual de nossos guias. Peçamos (...) e esperemos com serenidade”. Devemos, neste sentido, entender que nascemos, vivemos e até mesmo “morremos” para aprender a viver em relação aos outros e à própria vida. Saibamos, como afirma Mauro Operti, que “Deus não cometeria esta maldade de separar definitivamente dois seres que se amam. A essência da vida é o outro.

Porque Deus juntaria num breve tempo de uma existência duas criaturas que se sentem felizes de estar juntas e depois as separaria pela eternidade? A certeza da sobrevivência que a prática espírita garante às criaturas está acompanhada da certeza da reunião daqueles que se amam depois da perda do corpo físico”. Esta é a maior consolação que poderíamos desejar, mas não é só uma consolação piedosa, é uma certeza proveniente da vivência que, aos poucos, vai nos tornando mais seguros e menos propensos às crises de ansiedade e aflição que são tão comuns às pessoas hoje em dia.

Por isto, importante a atitude da família. Em regra, sempre, mas de maneira particular nas datas comemorativas, onde as ondas mentais, as lembranças são mais presentes, reais e amorosas. Léon Denis examinando a questão diz: "Os pensamentos de amor e caridade, as vibrações dos corações afetuosos brilham para” os desencarnados como raios na névoa que, por vezes, o envolve. “Ajudam-no a soltar-se dos últimos laços que a acorrentam à Terra.”

O posicionamento mental dos familiares ante a “morte” é fundamental na recuperação do espírito. Pensamentos de revolta e desespero o atingem como dardos mentais de dor e angústia, dificultando a sua recuperação. André Luiz mostra que a atitude inconformista da família pode criar "teias de retenção", prendendo o Espírito ao seu corpo (Fonte: IDE-JF Instituto de Difusão Espírita de Juiz de Fora - MG).

Complementa Léon Denis, ao falar do hábito de velar os “mortos” : "O cerimonial religioso, em uso, pouco auxílio e conforto dá, em geral, aos defuntos. Bem poucos dos que formam o acompanhamento pensam no defunto e consideram como dever projetar para ele um pensamento afetuoso." André Luiz chega a dizer, que "felizes são os indigentes, porque são velados nas câmeras dos institutos médico-legais", porque o velório e o sepultamento são quase sempre, mais um motivo de sofrimento para o desencarnante.

O pensamento elevado, e sobretudo a prece sincera são infinitamente mais valia para o equilíbrio do desencarnante. Allan Kardec afirma que o melhor presente que podemos dar a um ente querido que partiu é orarmos sinceramente em seu benefício: "As preces pelos Espíritos que acabam de deixar a Terra têm por fim, não apenas proporcionar-lhes uma prova de simpatia, mas também ajudá-los a se libertarem das ligações terrenas, abreviando a perturbação que segue sempre à separação do corpo, e tornando mais calmo o seu despertar" (ESE-cap XXVIII it 59).

Vale, como sempre, a lição de André Luiz:

"Maior resignação, maior prova de confiança e entendimento.Emitir para os companheiros desencarnados, sem exceção, pensamentos de respeito, paz e carinho, seja qual for a sua condição.A caridade é dever para todo clima.O companheiro recém-desencarnado pede, sem palavras, a caridade da prece ou do silêncio que o ajudem a refazer-se.Transformar o culto da saudade, comumente expresso no oferecimento de coroas e flores, em donativos às instituições assistenciais, sem espírito sectário, fazendo o mesmo nas comemorações e homenagens a desencarnados, sejam elas pessoais ou gerais.A saudade somente constrói quando associada ao labor do bem.O corpo que morre não se refaz." (Do Livro"Conduta Espírita, Pelo Espírito de "André Luiz" Psicografia de Francisco Cândido Xavier).

Em conclusão, devemos agir com resignação. Entendimento do sentido da vida, que compreende a morte do corpo e o princípio da evolução do espírito. Para tanto, devemos nos portar no sentido de ajudar, de amparar e compreender os encarnados e desencarnados. Para tanto, a oração e a simplicidade das reuniões familiares; a lembrança carinhosa, com saudade, mas sem dor, ajuda e proporciona luz aos que se foram e nos ilumina o caminho para a continuidade de nosso próprio caminho.

Marcos Grignolli

Resposta a questionamento formulado na Comunidade Partida e Chegada no Orkut

1 Comentário:

Anônimo disse...

Obrigado Marcos por sempre nos ajudar a entender melhor a vida!


Drim Bridi

Postar um comentário

Deixe aqui seu recado ou depoimento, de forma anônima se preferir. Respeitamos a sua opinião, por isto recusaremos apenas as mensagens ofensivas e eventuais propagandas. Volte sempre!

2leep.com

Artigos mais lidos

  ©PARTIDA E CHEGADA - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo