20 de jun de 2008

MIGUEL LAPENDA : CHEGOU A MINHA HORA


Passaremos a publicar a partir de hoje, em
capítulos, o livro "Fala Miguel", de Maria Helena Marques Lapenda, uma obra
psicografada que narra o falecimento e a trajetória, no novo plano de vida, do
jovem Miguel Luiz Lapenda, assassinado aos 20 anos de idade, no dia 21/09/2000, ao ser vítima de assalto.
Chegou minha hora. Quando anoiteceu, eu sabia que era minha hora de retornar ao mundo Espiritual. Por volta das 18:00 horas fui dormir um pouco, pois pretendia sair para uma "balada". Minha mãe não quis me acordar, quando meu amigo Rodrigo me ligou. Eu tinha colocado o despertador para tocar às 21:00 horas e ele tocou, minha mãe e meu irmão já estavam dormindo, um sono tão pesado que nem conseguiram jantar. Agora sei o motivo desde sono, era para que eles não impedissem a minha saída.

Fui acordar a minha mãe para pedir o cortador de unhas e ela sonolenta, brigou comigo para que eu não saísse. Mas era preciso, o meu prazo de permanência na Terra havia acabado e quando o tempo acaba, não tem jeito. Passei os últimos dias na Terra dormindo bastante, pois a loja em que trabalhei um ano, me mandou embora sem motivo, mas agora sei que tinha muitos motivos, era preciso que eu dormisse bastante para que o meu Espírito fosse trabalhado pelos meus mentores, na aceitação da minha partida.

Sexto sentido de mãe é fantástico. Uns quinze dias antes da minha partida, ela só falava que não queria que eu andasse de ônibus; íamos comprar um carro, mas não deu tempo. No dia 21 de setembro de 2000, eu parti, fui assassinado no trólebus no bairro do Jabaquara em São Paulo. Vinte e um de setembro é uma bela data para se deixar a Terra. A deixei com saudades, mas consciente que a separação física de todos que amo, é temporária e o tempo passa muito rápido.

Fui assassinado com quatro tiros, sem motivo, pois nada de mim roubaram. Como desencarnei não importa, o que importa é que eu tenho dentro de mim, à vontade de levar a todos o nome de DEUS e a aceitação de sua vontade para que possamos receber suas bênçãos para transportamos montanhas. Quando aceitamos sem questionar, o que nos acontece, tudo é luz. Quando levei os tiros, depois do pânico veio o sono leve, suave, sono de mudança, de transformação. Sentia uma claridade imensa em minha volta, não abri os olhos, mas mesmo assim sentia a claridade.

Quando dei por mim, já estava deitado em cima do meu corpo sem vida, o meu espírito saiu do meu corpo facilmente, com naturalidade como se estivesse preparado para este momento. Ouvi até música, não sabia de onde ela vinha, mas ouvia claramente uma música suave, só orquestrada, que me deu uma grande emoção, não pude conter as lágrimas, que corriam pela minha face sem controle. Muita emoção por deixar a Terra e muita emoção por retornar ao meu verdadeiro lar. Era um choro de emoção, sem nada que pudesse me atrapalhar neste momento tão lindo, como, por exemplo, revolta, incompreensão.

Abri meus olhos e vi em minha frente muitas pessoas, homens e mulheres, todos com uma linda luz em volta deles, como uma lâmpada acesa, vestidos com roupas brancas. Um homem se apresenta e diz ser Eurícledes Formiga, parente do meu pai, mas que eu não o conheci quando encarnado. O tio Formiga era espírita quando encarnado e era médium de psicografia, levou muito consolo aos parentes de desencarnados, através das mensagens mediúnicas que recebia no "Centro Espírita Perseverança". Também era poeta, advogado, jornalista e tantas outras coisas que desempenhou com sabedoria e continua trabalhando aqui no Além. Tem sido um pai pra mim, sempre que posso estou com ele, que é sempre uma grande aventura a sua companhia.

O outro homem disse ser meu bisavô, João Regadas, que também não conheci quando encarnado. Eles dois e os outros me colocaram em uma maca e me deram passes, adormeci e só acordei no hospital. O mais incrível é que antes de me colocarem na maca, aconteceu tantas coisas em tão pouco tempo; fui dar um beijo em minha mãe que acabava de chegar ao hospital Jabaquara, em São Paulo, onde fui socorrido, mas já cheguei lá sem vida física.

Para receber o livro em pdf, escreva-nos por e-mail. Veja também :

2 Comentários:

Romélia disse...

Amigos. O livro "Apelos do Tempo", um estudo sobre a obra "O Livro dos Espíritos" está em fase final de revisão. Para revê-la o escritor Luiz Gonzaga Pinheiro uniu-se ao Grupo de Aprofundamento Doutrinário Leon Denis, composto por uma equipe multidisciplinar, a fim de detectar possíveis falhas em sua elaboração.
Este é um livro para quem realmente ama o Espiritismo. A obra estuda e detalha Kardec em seu contexto no século XIX, uma época cheia de preconceitos e de ciência ainda não avançada. Seu objetivo é a chamar a atenção para a atualização do Espiritismo em seus aspectos, científico e filosófico, procedimento aconselhado pelo próprio Kardec.
Todos na equipe são unânimes em afirmar que tal estudo leva a confirmação de que Kardec era muito mais sábio, honesto e coerente do que muitos supõem. Um cientista de vanguarda, homem íntegro e amante da ciência.
Faça o download no blogger “Desafio Espírita” ou “Apelos do tempo” e divulgue esta idéia.
Parabens pelo blog!

Anônimo disse...

que emocionante, meu Deus!
meus olhos ficaram cheios de água!
que Deus abençoe o Miguel por tantos esclarecimentos do que acontece do outro lado da vida! Deus é maravilhoso mesmo! Vivaaaaaa! ;D

Postar um comentário

Deixe aqui seu recado ou depoimento, de forma anônima se preferir. Respeitamos a sua opinião, por isto recusaremos apenas as mensagens ofensivas e eventuais propagandas. Volte sempre!

Artigos mais lidos

  ©PARTIDA E CHEGADA - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo