20 de jun de 2008

REENCARNAÇÃO : KARMA OU APRENDIZADO

Já falamos sobre o karma (ou resgate, como preferem alguns) e eventualmente temos que voltar a ele, que é a base de nosso aprendizado. É a palavra que define o conceito do que aqui se faz, aqui se paga, nem que leve alguns séculos. Falando de aprendizado, o karma é a base desse aprendizado. Sempre que fazemos uma coisa, ela volta para nós. Nossos erros retornam para nós e todo o mal que causamos a qualquer ser, povo ou raça entra em nosso extrato como débito. Você está, então, na lista de devedores, mas não se preocupe. Todo mundo está.

Quando realizamos coisas boas e trabalhamos nossos desejos e intenções para o bem comum, estamos vencendo o egoísmo e nossos instintos mais grotescos. Isso é evolução. essas boas ações também voltam para nós e a isso os esotéricos chamam de dharma. Ao ajudar e cuidar de outras pessoas, ao fazer a coisa certa, seu extrato ganha crédito.

Só que não adianta analisar a vida de cada um isoladamente Somos fios de uma enorme tapeçaria e fazemos parte de algo maior. Nossas ações não refletem somente na gente, mas em todo mundo. Um imbecil bebe e dirige, alegando que a vida é dele e pode fazer o que quiser. Ao bater num outro carro, ele está mexendo com a vida de todo mundo. Desde as pessoas no outro carro, até os próprios parentes e amigos dele, que vão passar por uma situação ruim por sua causa . Por isto, precisamos analisar a vida como um todo para entender melhor o processo de reencarnação e os problemas que vivemos antes de sair por reclamando que o mundo é mau, injusto, não toma banho e não penteia o cabelo. Agora, imagine que você tem vários cartões de crédito. Eles são independentes, mas contam no seu bolso para débito e crédito do mesmo jeito. São eles : karma (dívida, resgate ou aprendizado) pessoal, familiar, social e nacional.

'Dívida' pessoal

Esse todo mundo conhece. É a dívida que você acumulou pessoalmente, Inclui todas as ações que fez enquanto indivíduo em todas as outras vidas, como jogar pedras na casa da vizinha, roubar um banco ou ser ríspido com outras pessoas. Pois é, praticamente todo tipo de ação gera conseqüência. Você pode nem lembrar daquele balconista com quem fez uma grossura num dia ruim, mas isso acarretou estresse para ele ou danos maiores (como perder o emprego). Resultado: você assumiu uma dívida. Agora, note bem. Temos um milhão de chances de fazer coisas legais, mas na maioria das vezes nos pegamos fazendo as coisas ruis. Por quê? Porque é mais fácil entrar no ciclo do que quebrá-lo.

Neste caso, assumimos a responsabilidade pelos nossos erros, e só nossos. Voltamos com determinadas dificuldades físicas (problemas de visão, paralisia, alergias, problemas de estômago etc), emocionais (problemas de relacionamento) e mentais (não só retardamento, mas coisas simples, como dificuldade de aprendizado). Pois é, até coisas básicas como beleza e inteligência podem se voltar contra você caso as use contra os outros.

Há coisas, no entanto, que não se encaixam exatamente na categoria enquanto responsabilidade. Na verdade, são atitudes que atravancam a vida da pessoa e ela não sabe porque. Se formos investigar, descobriremos que nem tudo foi a pessoa quem fez. Muitas vezes, ela traz a mácula do que fizeram com ela. Logo, tais pessoas não cometeram um erro, mas, ainda assim, vivem suas vidas atuais sob a sombra do que lhe fizeram. Por quê? Talvez elas precisem reviver suas antigas vidas para ajudar no conhecimento da reencarnação, ou talvez precisassem ainda se livrar do medo e da dor de uma forma que não puderam no intervalo (o período entre uma vida e outra).
É complicado mesmo. Muitas vezes, não sabemos ao certo como adquirimos aquela dívida enorme nesse cartão de crédito com validade para toda a eternidade. Mas, não importa o tamanho da fatura, sabemos como pagá-lo : aprendendo.

Por Eddie Van Feu
Este é o primeiro artigo de uma série de postagens, elaboradas a partir de um trabalho original de Eddie Van Feu, escritora e jornalista, que faz do assunto vidas sucessivas um tema apaixonante.
Extraído da série "
Wicca", n. 35 (Reencarnação), Editora Modus

1 Comentário:

Anônimo disse...

Muito bacana os textos do site. Sou espirita também, e vivo em busca de consolo para muitos acontecimentos em nossa vida.

Postar um comentário

Deixe aqui seu recado ou depoimento, de forma anônima se preferir. Respeitamos a sua opinião, por isto recusaremos apenas as mensagens ofensivas e eventuais propagandas. Volte sempre!

Artigos mais lidos

  ©PARTIDA E CHEGADA - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo