30 de jul de 2008

PARCEIROS DE VIDA : A TRISTEZA FERE O AMOR

"Li uma mensagem de uma mãe desesperada pela partida do filho para o mundo espiritual ele morreu de câncer. Foi maravilhosa a sua resposta para esta mãe sofrida. Deus queira que ela consiga superar esta perda. Quando a gente ama de verdade uma pessoa, seja filho, irmão, amigo a separação é muito dificil de aceitar. Eu já entrei em contato contigo. Perdi uma das pessoas que mais amava no mundo: o meu marido num acidente de carro. A dor é imensa, às vezes dá vontade de morrer também, mais sei que não é por aí, pois tenho dois filhos que só têm a mim agora. E sei que tenho a minha caminhada para seguir. Mas não é fácil. Sinto uma saudade imensa. Isso vai fazer dois anos. Hoje eu vejo o quanto amava o meu marido ou melhor o quanto amo. Mas preciso ser forte. Estou tomando antidepressivo porque não conseguia escutar a minha voz de tanta tristeza. Me ajuda meu irmão". G. (por e-mail)

Nas muitas manifestações que recebemos, boa parte relaciona-se à perda de parceiros de vida. Aqueles espíritos que escolhemos, antes de iniciarmos esta atual "viagem", para nos acompanharem e com eles compartilhar alegrias e tristezas. Para juntos evoluirmos, dia-a-dia, a despeito de eventuais pendências que possam advir de vidas passadas.

Mas, mesmo no caso de casais que não vivem o que chamamos de "amor de almas", parece insuperável a dor da ausência. Já disse o escritor e médium James Van Praagh que "entrar numa casa vazia pode ser, para quem perdeu o marido ou a mulher, uma das experiências mais difíceis do cotidiano. Quando nosso parceiro morre, o mundo parece desmoronar. Inicialmente, somos tomados pela perplexidade, como se nos encontrássemos num país estrangeiro e ninguém falasse nossa língua".

"Nós nos sentimos perdidos, como num pesadelo de que não conseguimos acordar. Vagamos como se estivéssemos adormecidos e, mesmo assim, uma terrível tristeza nos traz de volta à realidade. Nosso companheiro ou nossa companheira partiu e ficamos incompletos e vulneráveis. Não há ninguém que nos motive a despertar pela manhã ou nos convença a ir dormir à noite. Na realidade, não conseguimos enfrentar a hora de ir sozinhos para a cama. Tudo isso faz parte do processo normal de sofrimento".

"Perder nosso parceiro ou nossa parceira é, em certo sentido, perder parte de nós mesmos. Confiávamos um no outro, éramos íntimos, e nos apoiávamos em todas as ocasiões. Agora, quando mais precisamos de sua companhia, estamos sós. Tudo que construímos juntos parece sem sentido e vazio, porque não podemos compartilhar. Parece quase impossível fazer parte de um mundo em que ele ou ela não esteja mais presente" (A Força da Vida, pág. 8).

Qualquer um pode observar que, ainda entre casais aparentemente sem sintonia, o abalo é gigantesco. No dia em que um deles morre, o outro deixa de ser aquele de sempre. Prevalece a angústia. Alguns parecem jamais se recuperar e ficam as lembranças dos velhos dias felizes. Crêem que só serão verdadeiramente felizes quando se encontrarem de novo em espírito. Então, aquela parte deles que morreu renascerá.

Mas não é necessário esperar tanto. Nossa experiência demonstra que nada mais irreal do que a sensação de distanciamento, de perda. As pessoas a quem amamos e que continuam em nossos corações vivem em nós; mas não apenas isto. Suas almas nos acompanham em nossa jornada, mas, não menos certo, precisamos ajudá-los a nos ajudar. Nossa angústia é a angústia deles, quando sentem que nada podem fazer para nos consolar. Um exercício eficaz para ajudar a superar o trauma da ausência é conversar. Isto mesmo. Podem te achar maluca, mas você e eu (ao menos) sabemos que não é ! Converse com aquele que se foi, mas de maneira positiva, alegrando-se na certeza de que ele existe e assim ajudando-o a compreender seu novo estado. Fale com ele (ou ela) como foi seu dia, suas dúvidas, seus planos e peça a sua opinião. De uma maneira ou de outra, por iniciativa própria (quando permitido) ou por intermédio de espíritos de luz, seu recado lhe chegará, mesmo que através dos sonhos.

Pode ser um exercício doloroso, pois quem ficou quer mais. Mas lembre-se, sempre, que a ajuda precisa ser mútua. Portanto, tanto mais estará fazendo bem ao amor que se distanciou na medida que reconhecer esta verdade e aceitá-la, com paz no coração. Não se vincule a uma comunicação que pode nunca vir, pois a espera e a falta podem se transformar em flechas de dor. E sua dor, não se esqueça, é a dor dele (ou dela). Viva este momento com confiança na imortalidade do espírito, pois só esta certeza, sincera e sólida em seu coração, fará curar as cicatrizes e ajudar quem se foi.
Postagens relacionadas :

6 Comentários:

G. disse...

Obrigada, ajudou muito. Você é uma pessoa muito especial que consola tantos irmãos na mesma situação. Que Deus te abençôe meu amigo.UM forte abraço.

Anônimo disse...

Nesta mensagem encontrei as palavras mais certas que resumem bem o que é perder o cônjuge amado. No caso meu marido, impossível não chorar com tanta verdade. Um forte abraço.
Que Deus te abençoe.
Andréa.

Anônimo disse...

Posso lhe dizer que realmente,podemos conversar com aqueles que partiram.Isto nos dá a reconfortante sensaçao de que a vida continua.Mas sugiro, sempre pedir autorizaçao ao Pai,submetermos à Sua Vontade, é sempre importante,porque nunca podemos ter a certeza de que estamos fazendo o certo.Mesmo movidos pelo amor podemos errar.
Já que a vida aqui neste plano nos parece tao efêmera,o melhor é tentar fazer o que é melhor para aqueles que partiram nao é mesmo?
Por isto eu penso que envolvê-los nos problemas terrenos, nao deve ser bom.Peça que almejem a Luz,sigam a Luz,e se entreguem ao Pai de Misericórdia e Paz infinita.
Luz Sempre!
Ângela

Giselda disse...

Realmente a separação é só do corpo físico,o espírito não se separa nós estamos sempre com os nossos amores que foram para a espiritualidade.Através do pensamento nós nos comunicamos e temos a certeza que eles estão sempre do nosso lado nos amparando e dando-nos força para seguirmos em frente com muitapaz e muita luz.

Giselda disse...

Realmente a separação é só do corpo físico,o espírito não se separa nós estamos sempre com os nossos amores que foram para a espiritualidade.Através do pensamento nós nos comunicamos e temos a certeza que eles estão sempre do nosso lado nos amparando e dando-nos força para seguirmos em frente com muitapaz e muita luz.

Anônimo disse...

Pra min ta sendo mt dificil, no inicio eu consegui ser mais forte, conversava c ele , mas agora estou numa tristeza so , sinto mt sds dele. Nao to conseguindo lidar c isso, nao consigo caminhar pra frente e como se minha vida fosse um vazio, me sinto culpada por falar isso. Tenho uma familia maravilhos, tenho meus filhos q sao uma bençao de Deus. Tenho todo apoio do mundo e de Deus. Mas eu nao sei o q ta acontecendo comigo
ele era o meu porto seguro, a minha força eu tentei ser forte
Eu tenho medo de prejudicar os meus filhos, deles perceberem a minha fraqueza. Eu sempre fui forte
Desculpa mais eu precisava desabafar.
Sei q Deus vai esta me orientando e q eu vou conseguir superar.
Suas palavras foram mt importantes p mim.
Sonia

Postar um comentário

Deixe aqui seu recado ou depoimento, de forma anônima se preferir. Respeitamos a sua opinião, por isto recusaremos apenas as mensagens ofensivas e eventuais propagandas. Volte sempre!

Artigos mais lidos

  ©PARTIDA E CHEGADA - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo