28/04/2010

MÉDIUM JOÃO DE DEUS ATRAI ATENÇÃO DO MUNDO

Com placas e cardápios em inglês, cidade de 12 mil habitantes, a pouco mais de cem km de Brasília, hospeda espírita que atrai pessoas do mundo todo em busca de cura de doenças as mais variadas

A entidade chama: "Este aqui chegou como louco, já tomou 22 eletrochoques". Depois, quer que os mais próximos ouçam o relato de uma mulher. "Por que você veio até aqui?", pergunta.
"Porque eu não conseguia engravidar. A gravidez só "segurou" por sua causa", responde a gaúcha de Cruz Alta (RS), pela segunda vez em Abadiânia, no interior de Goiás.

É a vez de uma paciente grega, que retornou ao Brasil para agradecer pela cirurgia realizada na última vez em que esteve na cidade. "Os médicos retiravam o tumor, mas ele voltava e sangrava."

As conversas, sempre curtas, duram o dia inteiro no centro espírita Dom Inácio Loiola, conhecido como Casa de Dom Inácio. Uma multidão de enfermos se enfileira para ver e manifestar seus problemas a João de Deus.

Ou, melhor, a uma das mais de 30 entidades que a equipe do centro espírita diz que João recebe, entre elas o espírito do médico sanitarista brasileiro Osvaldo Cruz, morto no início do século passado. João Teixeira Farias, de 68 anos, o João de Deus, contradiz a própria equipe. Não é espírita nem recebe tantas entidades, segundo ele. "Tenho uma missão apenas." João de Deus é John of God para a grande maioria das pessoas que passam as quartas, quintas e sextas-feiras na Casa Dom Inácio. Europeus, norte-americanos e asiáticos, nessa ordem, descobriram Abadiânia, uma cidade de 12 mil habitantes a 88 quilômetros de Goiânia e a pouco mais de 100 quilômetros de Brasília.

Cirurgias espirituais

Eles são maioria na busca pela cura que a medicina não obteve. Conduzem rituais de oração e "cirurgias espirituais", muitas delas com incisões carregadas de misticismo para retirada de nódulos, cistos e outras partes doentes do corpo.

Vestem branco. Passam horas sentados, de olhos fechados. Esperam a vez da conversa ou da "cirurgia" com João de Deus.

A Casa Dom Inácio recebe, por dia, entre 600 e 800 pessoas que, de alguma maneira (principalmente pela boca de amigos), ficaram sabendo da existência de João de Deus. Chegam, identificam a fila onde devem entrar da primeira vez, a da "cirurgia", a fila do retorno e já decidem ali, frente à frente com o médium, qual será o procedimento adotado. Na quarta-feira passada, uma única pessoa fez a cirurgia com cortes. "Ele retirou com um bisturi os caroços que eu tinha perto do peito", conta o empresário de Salvador (BA) Marcos Falcão, 46, enquanto se recuperava numa maca da enfermaria. "Sangrou, mas não senti dor."

Outras 150 pessoas fizeram as "cirurgias espirituais", sem incisões no corpo. Foi assim que o estudante paulista Robert Hoffman, 22, diz ter se curado de um tumor benigno no cérebro. Robert fez a cirurgia espiritual na Casa Dom Inácio em 5/2. No Hospital Albert Einstein, em São Paulo, o tumor de cinco centímetros foi retirado sete dias depois. "Não fiquei nem uma semana no hospital, e sem sequelas, como os médicos chegaram a dizer no início", afirmou.

O centro espírita já registrou a presença de estrangeiros de 22 países. São principalmente pessoas com deficiências físicas ou com problemas graves de saúde, como esclerose múltipla e câncer. "Tenho esperança de ser curado", diz o italiano Pietro de Maria, 38, paraplégico desde 1995 por causa de um acidente de moto. "Vou ser operado na semana que vem." O suíço Raymond Gallaz, 55, conta ter dispensado a cadeira de rodas que Pietro ainda usa por causa de João de Deus. É a quarta vez do suíço em Abadiânia. "Não preciso mais da cadeira."

Os voluntários de João de Deus são os mesmos que organizam as caravanas com os estrangeiros rumo a Abadiânia. Eles negociam a hospedagem entre os voluntários, são proprietários de dezenas de pousadas e hotéis na cidade e trabalham como tradutores ou guias na Casa Dom Inácio -um lugar amplo, com diversos espaços para cirurgias, orações, farmácia, enfermaria e sala de espera.

TV de plasma

Na rua do centro espírita, as lojas vendem suvenires como a camisa da seleção brasileira de futebol. As placas das pousadas e os cardápios das lanchonetes são em inglês. Muitas casas são alugadas pelos visitantes de outros países, que passam meses, anos ou até uma vida inteira em Abadiânia. É é o caso de um francês que se casou com uma brasileira nascida na cidade. Na parede da casa, pintou uma mensagem que fala em cura na Casa Dom Inácio.

Questionado sobre a razão de tantos estrangeiros o procurarem, João de Deus diz que são os "trabalhos realizados por mais de 30 anos". Ele dá respostas curtas às acusações que já enfrentou, principalmente de charlatanismo. "Para mim, tudo é normal." 

Ele viaja todos os anos para Nova York (EUA), onde mantém uma Casa Dom Inácio. Já esteve também na Nova Zelândia, na Alemanha, em Portugal e na Grécia. Em cada atendimento, o médium ouve seu seguidor e anota num papel o medicamento necessário ao tratamento espiritual. 

É uma essência de passiflora, produzida na farmácia do centro espírita e vendida por R$ 60. Banhos de cristal, suvenires e água fluidificada também são vendidos por sua equipe. O centro recebe diversas doações, em dinheiro ou produtos. "Não cobramos dízimo", provoca o médium. Mas uma placa exibida em uma das salas do centro - ao lado de uma TV de plasma que transmite continuamente sessões gravadas de cirurgias sempre com incisões conduzidas pelo médium- lembra: "All donation welcome".

4 Comentários:

Anônimo disse...

O medicamento não é vendido por 60 reais como diz a metéria.É VENDIDO POR APENAS 10 REIAS,E CONFORME O MERECIMENTO,(desta ou de outra vida) A ENTIDADE DIZ QUE PRECISA PAGAR.

SALVE DEUS!

Anônimo disse...

Meu nome é Cláudia. Estive em Abadiânia, na Casa Dom Inácio de Loyolla, pela 5ª vez. Particularmente gosto muito de participar das sessões mediúnicas. A missão espiritual do Médium João é muito especial e requer bastante dedicação. Ele precisa de muita disciplina para estar presente todas as quartas, quintas e sextas-feiras. Ainda encontra tempo para fazer atendimentos em outros estados da federação.
Na Casa Dom Inácio de Loyolla a energia espiritual é intensa e a todo momento somos convidados pela nossa consciência a refletirmos: "estamos num hospital espiritual". Os estabelecimentos que servem refeições aos visitantes são orientados a não vender bebidas alcoólicas. As pousadas geralmente estabelecem um horário de entrada, qual seja, até as 22H30min. Dessa maneira, as pessoas descansam e melhor participam do seu processo de cura física e/ou espiritual.
Dentre as Entidades que atendem na Casa Dom Inácio de Loyolla podemos citar Dom Inácio de Loyolla, Dr Augusto de Almeida, Dr Bezerra de Menezes, São Francisco, Sta Rita de Cásssia, Rei Salomão, Dr Oswaldo Cruz, Dom Ingrid, Dr José Valdevino. A energia de Chico Xavier tb. está presente.
Uma experiência muito interessante durante minha permanência em Abadiânia deu-se em relação aos sonhos que tive. Eles aconteciam em quantidade muito superior ao que ocorre no meu cotidiano.
Isso sem falar nas experiências que tive qdo fui visitada pelas Entidades, quais sejam, o Dr. Augusto de Almeida e Dom Inácio de Loyolla, que me fizeram uma intervenção cirúrgica, à noite, enquanto dormia na pousada. Algo parecido já acontecera na terceira vez em que lá estive, qdo o Dr. Augusto de Almeida, que até então eu desconhecia, me apareceu pela primeira vez. No dia seguinte, qdo fui à livraria e vi a foto do Dr Augusto de Almeida, fiquei sabendo que ele foi o médico que me operara na noite anterior.
Outro aspecto que gostaria de comentar: estive na Casa Dom Inácio de Loyolla a fim de tratar de determinado problema físico mas, percebi que, no meio do caminho havia outras coisas com as quais eu teria que lidar. Naquele local eu encontrei a força e orientação espiritual para aceitar, entender e enfrentar todos os desafios.
Eis uma frase do Dr. Augusto de Almeida: minha falange não é composta de um nem de cem, mas de milhares. Sou aquele que vai às profundezas de um abismo para resgatar uma alma.
Um aspecto interessante a salientar é que na Casa Dom Inácio de Loyolla as Entidades orientam para que as pessoas continuem seus tratamentos médicos, que tomem os remédios que os médicos lhes prescreveram normalmente. Um detalhe: o valor cobrado pela passiflora, que vem com 35 comprimidos, devidamente embalado, rotulado, é R$10,00 (dez reais) e não R$60,00 como divulgado na reportagem.
Enfim, me disponho a dar mais informações àqueles que quiserem visitar a Casa Dom Inácio de Loyolla. Meu e mail é: claudiacraq@click21.com.br
Cláudia Queirós.

Esperança disse...

Prezados irmaos planetarios,

Fiquei contente com o depoimento da Claudinha (claudiacraq@click21.com.br). Como média da casa fico feliz em saber que o Sr. joão Teixeira de Faria (João de Deus), esta sendo reconhecido pelo seu trabalho humano e digno.

Abraços fraterno de luz em todos e em você claudinha.

www.hospitalespiritualdomundo.blogspot.com

Alcina Belo disse...

Meu nome `e Alcina, e já estive em Abadiânia por 2 vezes e ouvi relatos de pessoas, que estavam muito doentes e hoje se encontram bem de saúde, e continuam indo ate Joao de Deus como uma forma de agradecimento a Ele e a Deus, trabalhando como voluntario na corrente de fé ou como voluntario na cozinha onde e oferecida um ótima e saborosa sopa a todos que ali estão. ou nos demais departamentos que dão suporte ao trabalho.
Conheci uma pessoas que tinha ataxia(transtorno neurológico) que afeta os músculos, chegou usando uma bengala... e hj já consegue pedalar ....Que Deus abençoe esse trabalho esse lugar e em especial Joao de Deus...abraços a todos

Postar um comentário

Deixe aqui seu recado ou depoimento, de forma anônima se preferir. Respeitamos a sua opinião, por isto recusaremos apenas as mensagens ofensivas e eventuais propagandas. Volte sempre!

2leep.com

Artigos mais lidos

  ©PARTIDA E CHEGADA - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo