21 de out de 2010

A ESPIRITUALIDADE E REENCARNAÇÃO DOS ANIMAIS

"Assistindo o filme "Nosso Lar" o qual muito nos faz rever as atitudes neste plano., surgiu uma dúvida. Pra onde vão nossos animais de estimação? (Maria Lúcia Camargo)
"Gostaria também de saber para onde vão nossos amados bichinhos quando fazem sua passagem".(Ana Luiza Lara) - via Facebook


Há tempos temos recebido perguntas sobre a espiritualidade dos animais.  Para tanto, empresto as ponderadas palavras do médico veterinário Marcel Benedeti, fundador da Asseama (http://www.asseama.com.br/index.html), e que teve toda sua breve vida dedicada a esclarecer as pessoas (inclusive os espíritas) sobre a necessidade de respeitar os animais, até seu falecimento no início deste ano. Benedeti publicou sete livros: "Todos os Animais Merecem o Céu"; "Todos os Animais São Nossos Irmãos"; "Animais no Mundo Espiritual", "A Espiritualidade dos Animais"; "Histórias Animais que as Pessoas Contam, Errar é Humano – Perdoar é Canino", "Os Animais Conforme o Espiritismo"; "Animais: Tudo o que Você Precisa Saber", e o último "Os Animais conforme o Espiritismo".

Sabemos que os animais têm espíritos e sentimentos e, como nós, estão passando por um processo evolutivo. Nós, buscando o aperfeiçoamento moral e espiritual; eles, evoluindo nas diversas espécies. Quanto a questão da reencarnação dos animais, no Livro dos Espíritos temos na questão 598 – A alma dos animais conserva depois da morte sua individualidade e a consciência de si mesmo? “- Sua individualidade, sim, mas não a consciência do seu eu. A vida inteligente permanece no estado latente.”

Os animais são como nós: quando morrem, também são encaminhados para a dimensão espiritual e são acolhidos por equipes que os tratam e alimentam. Isto porque Os animais são mais ligados aos hábitos alimentares que os humanos e, então, apesar de não precisarem para manter seus corpos físicos — que não possuem mais —, são alimentados.

Os animais são agrupados por afinidade, para evitar as disputas que são comuns também neste plano. Eles mal distinguem as duas dimensões. Para eles estarem aqui ou lá é a mesma coisa. Por isso, um cão que deteste gatos, ao se deparar com um deles lá, o atacaria e o outro tentaria defender-se, usando seus instintos que estão impressos no seu corpo espiritual. Se tivéssemos uma boa vidência, notaríamos, talvez, a presença de espíritos de animais à nossa volta, pois eles transitam facilmente entre as duas dimensões sem distingui-las.

Aliás, outro aspecto próprio dos animais é sua vidência. Eles são naturalmente videntes. Eles vêem espíritos de seres humanos, por exemplo, que nós mesmos veríamos com dificuldade, sem distinguir praticamente em que dimensão estão vendo. Tanto vêem a nós quanto aos espíritos que estão ‘em outras dimensões'.

Quanto à vida dos animais entre nós, cada qual tem seu roteiro de aprendizado, e, ao final de algum estágio, é necessário iniciar outro. E para atravessar para a fase seguinte, é necessário passar pela experiência da desencarnação. As situações onde haja sofrimento fazem parte de seu aprendizado ou de seus donos. Nisto não podemos interferir, assim como não o fazemos em nossa própria vida.

Mas o importante nessa dinâmica é a possibilidade de reencarnação também dos animais. Embora não tenham o livre arbítrio dos espíritos humanos, poderão amadurecer e retornar como animais mais evoluídos, com maior grau de sociabilidade. Este processo se repete sucessivamente e o espírito animal vai de estágio em estágio até se tornar próximo dos humanos, com quem aprenderá para que, em futuras encarnações, seja um ser humano, a princípio primitivo como os macacos, por exemplo.

Pode haver um lapso de talvez centenas ou milhares de anos antes que cheguem à fase de individualidade em que nos encontramos. Antes de reencarnarem, conviverão muito conosco para aprenderem como agir e como pensar da forma como pensamos. Quando se sentirem humanos, estarão prontos a estagiar em nosso meio. Inicialmente poderão reencarnar como pessoas que têm pouco desenvolvimento intelectual, podendo ser também um tanto agressivas. Alguns possuem instintos animais ainda muito aguçados, dando excessiva importância ao sexo e ao apetite. Podem ser egoístas e territorialistas.

Importante é que saibamos que eles (os animais) estão próximos e continuarão ligados a nós através do pensamento. E é justamente através de nossos sentimento que poderemos ajudá-los em sua caminhada, seja neste ou em outro plano da vida.

A partir do livro "Todos os animais merecem o Céu", Marcel Benedeti

9 Comentários:

Mel Gama disse...

Hmmmm sabe que isso é uma coisa que realmente me deixa confusa? Percebi que no Nosso Lar só haviam cães que ajudavam no Umbral. Procurava, procurava, mas não vi nenhum nas casas... :(
Eu sou completamente apaixonada pelos meus e gostaria de estar com eles qdo fosse pra lá mas parece que isto não vai acntecer, o que me deixa muitíssimo triste! Uma pena que estes seres tão maravilhosos e que compartilham de um tempo tão pequeno entre nós, não nos acompanhe em nossa jornada. :(

Anônimo disse...

Como será a jornada dos outros animais (zebras, Onças, leões...) já que estes, normalmente, não são domesticados e são alumas vezes, agressivos?

Para os animais utilizados como alimento humano, Como é o tratamento deles no plano espiritual?

cassia disse...

ESTAMOS TODOS CONDENADOS NA ETERNIDADE PELO SOFRIMENTOS DE MUITOS ANIMAIS AO QL COMEMOS, MESMO QUE NÃO O MATEMOS.

Anônimo disse...

Ok. Isso tudo é baseado em que? Estou tentando compreender, mas nao vejo sentido nenhum.
Quem comprovou que isso realmente acontece com os animais? Há dados sobre isso? Pq parece que isso saiu da cabeça de uma pessoa e nada mais

Anônimo disse...

Os animais são seres extremamente evoluídos e que auxiliam os seres humanos no aprendizado do amor e desapego do ego. São seres com extrema capacidade de perdão e compaixão. Mesmo que precisem caçar, respeitam suas presas como um ato de coragem, que seria dar a vida pela sobrevivência dos demais. Existem especialistas no mundo focados em áreas da comunicação com o mundo animal, inclusive obras incríveis. Não são os animais que tem que aprender conosco, nós que temos muito à aprender com os seres que vivem em extrema harmonia com a Mãe Terra há éons e que nós, egocêntricos, ainda não descobrimos. Carolina D.L.

iolanda villard disse...

Li que os animais morriam e logo reencarnavam. Se isso for verdade, não poderei encontrar os meus, quando eu tambem for. O que é uma pena, porque aprendemos muito com esses anjinhos.

Anônimo disse...

Fico muito confusa sobre isso... tb li que os animais reencarnam quase imediatamente após sua passagem...

Anônimo disse...

Segundo uma garota sem pensamento os animais não tem espirito! Tenho certeza que eles tem, animas são como pessoas a diferença é que eles são puros e verdadeiros pessoas não!

Marcel Benedeti é um ótimo autor, muito sábio! esse sim merece todo meu respeito! Um abraço amigos!

Gabriella Mangiavacchi disse...

Para mim foi um consolo ler esse texto, dá muito dó ver bichinho que você tanto ama morrer... Bom saber que a vida não acaba, só se transforma, ou seja, muda de forma.

Postar um comentário

Deixe aqui seu recado ou depoimento, de forma anônima se preferir. Respeitamos a sua opinião, por isto recusaremos apenas as mensagens ofensivas e eventuais propagandas. Volte sempre!

Artigos mais lidos

  ©PARTIDA E CHEGADA - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo