22 de dez de 2010

A RARA POSSIBILIDADE DAS REENCARNAÇÕES SUCESSIVAS

"Escrevi pra vocês quando perdi minha filhinha de uma forma trágica eu estava desesperada. Então vocês me responderam me confortando. Quero agradecer, pois foi através das suas palavras que me aprofundei na Doutrina Espirita e hoje é o que me acalma -- e me dá sentido pra viver. Depois disso tive mais dois filhos inclusive uma menina que tem hoje seis meses. E ela se parece muito com minha filha que se foi. Queria saber se existe possibilidade dela ter voltado pra mim nessa criança, pois são várias evidências".
N. (por e-mail)

Pelo que disse, julgo haver ainda uma íntima ligação entre vocês, que é demonstrada pelos constantes sonhos em que ela, de uma maneira ou outra, se manifesta. Durante o sono, a nossa alma se irradia e emancipa-se parcialmente, podendo se movimentar livremente pelo espaço, encontrando todas as possibilidades de relacionamento com encarnado e desencarnado, vivenciando realidades cujos reflexos em maior ou menor intensidade, acabam ‘vazando’ para o nosso consciente, de forma intensa ou fragmentada, resultando em lembranças as quais denominamos de “sonhos”.

Às vezes o nosso inconsciente, onde estão vivenciadas todas as nossa experiências e relações de vida, em razão da saudade ou de um sentimento maior, recompõem fragmentos de memória de fatos vivenciados, de lembranças vividas. Pode ser um simples sonho, porém é também a maneira e o modo pelo qual a espiritualidade pode pinçar de seu inconsciente fragmentos de memória necessários a transmitir a você, uma mensagem relativa a sua filha, dando-lhe um alô, como assim dizer, mandando notícias.

Quero dizer com isto que, sim, certamente, os sonhos foram contatos efetivos com Amanda em outro plano. E, aparentemente, a maneira como ela escolheu para se manifestar é um indicativo de que está bem e caminhando nesta nova fase de sua vida.

Já quanto às coincidências a que se refere, tenho uma opinião particular. Haverá, sem dúvida, quem lhe diga que é um sinal de que sua filha poderia ter reencarnado em sua segunda filha, o que explicaria os sinais. Talvez fosse até o que você gostaria de ouvir e, sem dúvida entendo, pois é o que eu, como pai, gostaria de acreditar se estivesse numa situação semelhante.

Mas julgo, com base no que conhecemos da Doutrina, que, assim como os parentes e amigos que os incentivaram a buscar um novo filho, a própria Amanda decidiu usar o nascimento da irmã como um evento importante na relação de todos. Um marco, que indicaria que lhe agradou a idéia de uma nova criança e, principalmente, que ela deseja que seja um ponto final a uma história de sofrimento. Digo isto porque as reencarnações sucessivas, em tão curto espaço de tempo, são raras e, via de regra, justificadas apenas pelo fato de a vida ter sido interrompida por motivos alheios à vontade do desencarnado (daí entenda-se contrário até à prévia determinação de sua vida na Terra, contrário ao plano que traçou ainda no plano superior, antes de reencarnar nesta vida). Daí justificaria-se e permitiria-se o retorno rápido para conclusão de uma experiência necessária e inacabada.

Mas, pelo pouco que conheço da história de sua filha, assim não foi. Ele tinha um caminho a seguir, um caminho difícil e doloroso, mas me parece que trilhou com garra e coragem. E mesmo os efeitos da morte tem que ser entendidos como parte da vida. Afinal, a morte prematura de filhos são, antes e principalmente, uma prova aos pais, mais do que aos próprios filhos.

Por isto digo que, no meu entender, sua filha estaria sempre por perto, preocupada e trabalhando para a recuperação e recomposição da família. E, neste caso, o nascimento da irmã poderia estar sendo visto por ela como uma maneira de distanciar-se como uma memória sofrida, para restar tão-só como uma lembrança saudosa e feliz.

E, não custa lembrar, que a passagem para os que se foram é igualmente dolorosa. Talvez até mais, pois os familiares perderam um ente querido, ao passo que aquele que se foi "perdeu" a todos de uma só vez. Mas ainda assim acredito que ela demonstra grandeza e faz de tudo para que os pais se recuperem, se recomponham e voltem a viver, aceitando os desígnios de Deus.

Temos dito várias vezes : deixe o tempo curar a saudade. Cultive lembranças boas dela, e mais, nunca faça questionamentos desta natureza "será que ela está bem", "O que estará fazendo", "onde você está". Tais questionamentos são verdadeiros chamamentos que levam inquietação àquele que se foi em sua nova jornada.

Nunca saberemos exatamente o que nos é preparado. Como lhe disse, esta é apenas uma interpretação e mais uma vez, afirmo que talvez haja outra. Afinal, quem somos nós para interpretar ou saber o que nossos amados querem dizer no outro plano? Mas, uma coisa é certa, ela cuida e quis te passar algum recado.

Acredito que este recado é o seguinte : tentem superar o sofrimento e aceitem esta nova vida sem considerá-la em substituição, mas como uma evolução da jornada da própria família. Que Deus esteja sempre com vocês e que sejam muito felizes. Orem sempre pela tua filha, mas nunca lamente a partida dela, pois a morte não existe e ela precisa agora, levar a outra vida que tem para viver, aprender e ajudar a quem precisa. E vocês, devem continuar nesta, ajudando e trilhando os caminhos da pequena, que parece sempre estar por perto.

Imagem: por rolands.lakis

6 Comentários:

JUNIOR OMNI disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
ANA disse...

TENHO 33 ANOS E PERDI UMA PESSOA QUE MUITO AMO E NÃO CONSIGO TIRAR DOS MEUS PENSAMENTOS E SINTI AO LER ALGUM COMENTÁRIO E ATE MESMO VER ALGUMAS FOTOS QUE EU ESTOU ATRAPALHANDO ELE E NÃO SEI O QUE FAZER

ana disse...

Aguardo resposta anasiqueira@hotmail.com

Graciela disse...

Boa noite!
conheço a doutrina espirita,leio mtos livros,mais nem sabendo q a vida continua apos a morte, minha dor,revolta,raiva e culpa pela morte do meu filho de 15 anos.Uma criança boa,carinhosa. ele faleceu fazendo o q ele mais gostava jogando bola,machucou a perna durante o jogo e faleceu 6 dias depois,dia 7/7/12 vai fazer 1 ano, mais pra mim e cmo hj.cai e depressao tomo 2 tipos de remedios,parei de trabalhar,dava surtos,e ia p o hospital.tento me alegrar mais nao consigo meu bebe me deixou, e levou cm ele uma parte de mim meu coraçao.

Anônimo disse...

meu nome e julia nery eu sempre soube que de alguma forma eu era espirita,mais foi uns dois anos antes de minha filha descencarnar que eu e ela começamos a frequentar uma casa espirita eu ela e minha neta .neste periodo minha filha se sentiu bem e feliz ela mudou muito depois que começamos a ir nas palestras.ai quando foi no dia 19/02/2010,ela sofreu um acidente vindo da praia aonde ela havia passado o carnaval.so ela morreu.foi uma dor que so uma mae pode explicar.eu sofri muito mais tive que aceitar,e foi ai que a doutrina e os encinamentos me ajudaram e me ajuda ate hoje a seguir em frente e criar minha neta que e a razao da minha vida hoje.eu acredito que nada na vida e por acaso e que deus nao nos da nada que nao e de direito nosso,e que o nosso destino ja esta escrito e nosso tempo tambem.e e assim que vou seguindo minha vida ,mas na esperança de um reencontro em outra vida pois eu sei que um dia eu vou dar o abraço que nao dei e dizer que eu amo muito a minha filha e ela sera sempre a minha finha do coraçao.se vc ler este comentario e me achar pronta para ter uma mensansagem da minha filha eu vou ficar muito feliz.mais se ainda nao for minha hora eu vou entender.no mais eu gostei muito de ler as mensagens e desta pagina fiquem com deus.o nome da minha filha :juliana nery ferretti ela nasceu no dia 22/07/1985e desencarnou no dia 19/02/2010.meu hotmail e; julianerygio@hotmail.com.br

Anônimo disse...

perdi meu filho antes de nascer, ou seja 38 semanas,em 06/02/14, e não consigui ainda me recuperar desta perda. Sonhei com ele uma vez sorrindo pra mim,depois sonhei com uma mulher me dizendo pra eu não me afligir poi eu havia feito tudo que eu pude(pois me questiono muito porque que eu não consegui salvar meu filho), a última vez foi ontem a noite tive um sonho com um outro filho que estava num hospital e ele começou a doecer, os batimentos cardiocos dele comecarao a diminuir e entrei em desespero pedindo e correndo com meu filho nos braços pedindo ajuda e ninguem se movimentava para me ajudar, entao olhei para meu filho e ele abriu os olhos e olhou bem no fundo dos meus olhos, e dizia por favor me ajudem salva meu filho, ficava correndo de lado para o outro, entao comecei a gritat por um dr chamada Cruz, gritava por ele sem parar, como se ele salvaria meu filho, e eu dizia esta acontecendo a mesma coisa do meu outro filho. entao acordei gritando. DM

Postar um comentário

Deixe aqui seu recado ou depoimento, de forma anônima se preferir. Respeitamos a sua opinião, por isto recusaremos apenas as mensagens ofensivas e eventuais propagandas. Volte sempre!

2leep.com

Artigos mais lidos

  ©PARTIDA E CHEGADA - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo