20 de set de 2011

ELIAS BARBOSA, AMIGO E BIÓGRAFO DE CHICO XAVIER


Esse vídeo é a prévia de um documentário que o pesquisador Oceano Vieira de Melo está realizando sobre o médico Elias Barbosa e que foi apresentado durante o "IV Encontro dos Amigos de Chico Xavier", em 10/09/2011, em Belo Horizonte (MG). A produção deve ser exibida em TV por assinatura e disponibilizada em DVD em 2012. Abaixo, trazemos um perfil com o personagem do trabalho e um outro vídeo com entrevista do médico.

* * *

ELIAS BARBOSA nasceu em Monte Carmelo, Minas Gerais, em 12 de julho de 1934, e foi registrado como se tivesse nascido no dia 4 de agosto do mesmo ano. Teve a sua criação em família espírita e desde os seus 8 anos de idade já se interessava pessoalmente em freqüentar o Centro Espírita semanalmente. Chegou a participar, ainda criança, do que hoje se chama sessões de desobsessão, nunca se assustando com a atitude às vezes ríspida do único doutrinador quando se dirigia a um espírito revoltado ou sofredor que lá se comunicava.

Desde que aprendeu a ler, Elias Barbosa interessou-se pelos livros espíritas, de tal forma que, aos 15 anos de idade já havia lido todos os 5 livros básicos de Allan Kardec, o Parnaso de Além-Túmulo, e os livros do Dr. Inácio Ferreira, que chegaram a despertar neste jovem uma tendência para se aprofundar nos meandros da mente humana.

A primeira vez em que ouviu falar de Humberto de Campos (desencarnado em 1934), foi na sua adolescência, quando leu O Caso Humberto de Campos, livro que trata do processo que a família de Humberto de Campos moveu contra Chico Xavier e a Federação Espírita Brasileira, na tentativa de receber os direitos autorais dos seus livros psicografados.

Sempre se interessou pela medicina e ainda menino, já conhecia todas as plantas medicinais existentes no cerrado da chácara de sua família, onde chegou a residir por algum tempo com a sua avó materna, D. Maria Albina dos Santos.

Em 1950, foi atingido por uma meningite meningocócica, tendo entrado em estado de coma, mas foi devidamente medicado por ser o segundo caso na pequena cidade de Monte Carmelo. Além do mais, o tratamento espiritual foi intenso, com vários médiuns atuando para a sua cura, o que levou à sua rápida recuperação, deixando surpresos os médicos que cuidavam do caso. O interessante é que, antes de eclodir o quadro meningítico, Elias Barbosa tinha começado a escrever um livro negativo, do ponto de vista espiritual, e, depois da doença, ele compreendeu, através de uma mensagem de Emmanuel, recebida por Chico Xavier, intitulada A responsabilidade de quem escreve, que este não deveria ser o caminho por ele trilhado. Foi quando, então, começou a alimentar a idéia de um dia analisar o Parnaso de Além-Túmulo, comparando o estilo de cada poeta, o que só ocorreu em 1972, com o lançamento da nona edição da referida obra.

Fez o curso ginasial no único colégio da sua cidade, o Colégio Nossa Senhora do Amparo, onde passou a lecionar Português, a partir dos 17 anos. Concluído o curso ginasial, sempre pensando em fazer medicina, e cientificado através de cartas que escrevia para o Ministério da Educação e Cultura e para a Revista O Cruzeiro de que o curso de contabilidade permitia a entrada em uma Faculdade de Medicina, iniciou este curso o de contabilidade, na época já lecionando Português para o Curso Normal na mesma escola onde lecionava para o Ginasial.

Em abril de 1954, o então Deputado Federal Mário Palmério, que tomou conhecimento de um poema de Elias Barbosa, chamado Elegia, sabendo que um de seus sonhos era estudar Medicina e percebendo a sua capacidade intelectual, generosamente convidou-o para vir morar em Uberaba em uma das dependências das suas escolas (que hoje é o Campus I da Uniube) e trabalhar nas Secretarias das Faculdades de Direito e Odontologia, e continuar dando suas aulas de Português, agora então no Colégio Triângulo Mineiro e na Escola de Comércio do Triângulo Mineiro.

Ingressou na Faculdade de Medicina em 1957 e formou-se em 1962. Convidado para ser professor de Farmacologia e Terapêutica Experimental, na FMTM, em 1963 Elias Barbosa fez o curso de aperfeiçoamento em Farmacologia em SP, na Escola Paulista de Medicina, em tempo integral.

De volta a Uberaba, casou-se em Janeiro de 1964, com Cândida Flávia e começou a lecionar Farmacologia na FMTM, abrindo o seu consultório neste mesmo ano, e, em 1969, começou a trabalhar no Sanatório Espírita de Uberaba como médico assistente, especializando-se, a partir daí, em psiquiatria.

Seja o primeiro a comentar ;)

Postar um comentário

Deixe aqui seu recado ou depoimento, de forma anônima se preferir. Respeitamos a sua opinião, por isto recusaremos apenas as mensagens ofensivas e eventuais propagandas. Volte sempre!

Artigos mais lidos

  ©PARTIDA E CHEGADA - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo