15 de abr de 2012

SAUDADES

“É a palavra que coroa os sentimentos dos amores partidos pelo desejo de presença perdidos.

Esperamos em vão que o tempo apague de nossa memória momentos mal vividos e sentimos o amargor do esquecimento de fatos que não haveríamos de querer esquecer.

Em vão travamos batalhas constantes com nossa parca memória e a desafiamos para manter dados, pensamentos e palavras, que traídas pelo tempo vão se apagando.

Entendemos como crueldade da vida, a sutileza com que os fatos se apagam, mas tudo concorre para o nosso bem. É força impulsionadora para as coisas inovadoras inerentes a nossa vida diária, que como esponja absorve-nos as horas, obrigando-nos as tarefas rotineiras, inspirando-nos a novos compromissos. 

Que será de mim amanhã? Perguntamos
Que haveremos de estar fazendo, produzindo?

Eis que seria louvável pensar que cada qual é o feitor do próprio destino, construído pelos próprios pensamentos que lhes darão forma através dos impositivos da vontade.

Então, o que querer? Que desejar?

Se os sonhos tiverem a intercorrência do passado embaraçando-lhes os sentidos, em nada vos acrescentará.

Tratemos de produzir os melhores pensamentos, os desejos novos de sucessos, alicerçados pelos bons propósitos, saneados pelas dores do passado, para que nós, como fiéis companheiros, juntemo-nos, e com o pensamento em Deus, possamos dar-vos o melhor. 

Jesus nos ilumine.”

Assinado :  Um amigo Espiritual
Data : 15 de março de 2012
Local : Casa da Prece -  Sorocaba ( SP )

Médium : 
Maria do Carmo Pellegrini

1 Comentário:

Anônimo disse...

Li uma psicografia da Casa de Prece_Sorocaba, e achei muito linda! Gostaria de saber o endereço deste centro espirita,pois como Casa da Prece não encontrei nada.

Postar um comentário

Deixe aqui seu recado ou depoimento, de forma anônima se preferir. Respeitamos a sua opinião, por isto recusaremos apenas as mensagens ofensivas e eventuais propagandas. Volte sempre!

Artigos mais lidos

  ©PARTIDA E CHEGADA - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo