1 de nov de 2012

PARA ESPÍRITAS, MORTE É COMEMORAÇÃO DA VIDA

Ao contrário do que o próprio nome diz, no Dia dos Finados, os espíritas comemoram a vida. A religião não vê a morte como um fim. Para o espiritismo a morte não existe, a verdadeira vida é a espiritual, explica Maria Túlia Bertoni, presidente da Federação espírita de Mato Grosso do Sul.

“A morte é a volta de onde viemos. Como acreditamos na reencarnação a vida é incessante. O corpo acaba aqui, o espírito volta para sua verdadeira vida e retorna quantas vezes forem necessárias até se tornar melhor”, diz.

O espiritismo não percebe a morte como o fim. Ninguém morre, no sentido de acabar, dentro da doutrina espírita, o espírito é eterno, é imortal. Na doutrina espírita o corpo é apenas um instrumento para o espírito.

“É a doutrina do túmulo vazio”, explica Bertoni. Tem-se o corpo físico, o corpo espiritual (o perispírito) e o espírito. Quando desencarnados, tem-se o corpo espiritual e o espírito.

Entretanto, Maria Túlia conta que apesar da doutrina não ver a morte como uma coisa ruim, eles sofrem a dor da separação. E por isso, mesmo a morte, ou melhor, a vida ser uma coisa boa, os espíritas sentem a perda do ente querido.

É o que a doutrina chama de apego. Embora se tenha conceitos bem delineados sobre a morte/vida, os sentimentos não respondem adequadamente a estes conceitos.

“A morte é uma passagem do plano físico para o plano espiritual, para uma nova existência, mais pulsante, mais bela”, aponta.

Maria Túlia explica que para eles a morte pode ser encarada por três parâmetros: o materialista, que acredita que quando se morre tudo acaba; o espiritualista, que acredita que existe uma alma; e o espírita, que acredita na reencarnação e na vida incessante.

Bertoni lembra que para o espírito se desenvolver é preciso que o ser humano desenvolva qualidades morais, de acordo com os ensinamentos de Jesus.

O espiritismo mostra que é preciso modificar a idéia acerca da vida, que não se resume na vida material, mas essencialmente na vida espiritual.

Por isso, no Dia dos Finados, os espíritas não têm o costume de visitar cemitérios. Não que isso seja proibido, mas não faz parte da cultura espírita. Na data, tradicionalmente, os espíritas preparam a Semana da Vida, onde celebram vida com orações, palestras e atividades nos centros espíritas.

1 Comentário:

Nós Os Cachorros disse...

Uma grande verdade.
Apesar de sentirmos a separação quando ocorre o desencarne (morte), sabemos que não é o fim.
Ótima postagem!
Abracos

Postar um comentário

Deixe aqui seu recado ou depoimento, de forma anônima se preferir. Respeitamos a sua opinião, por isto recusaremos apenas as mensagens ofensivas e eventuais propagandas. Volte sempre!

Artigos mais lidos

  ©PARTIDA E CHEGADA - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo